Categorias

O pterígio volta? Principais dúvidas

Quarta, 29 de Agosto de 2018

Pterígio: O que é, como prevenir e tratamentos

Quarta, 22 de Agosto de 2018
O que é pterígio?É uma lesão benigna caracterizada pelo crescimento de uma “pele esbranquiçada” sobre o olho. Popularmente conhecida como carne crescida no olho, o pterígio é composto de um

Toxoplasmose: sintomas, tratamento e prevenção

Domingo, 05 de Agosto de 2018
Conhecida também como a doença das fezes do gato, a toxoplasmose(CID10 - B58) é um problema de saúde sério e mais comum do que se imagina. De acordo com o Center for Disease Control and Preventio

Conjuntivite: Prevenção e Tratamento

Terça, 12 de Dezembro de 2017
Acordar com sensação de presença de areia nas pálpebras e cisco nos olhos, globo ocular avermelhado, coceira, secreção e dificuldade em abrir os olhos são sintomas conhecidos da conjuntivite. A

Insuficiência Cardíaca - O que você precisa saber

Terça, 12 de Dezembro de 2017
O que é?A insuficiência cardíaca (IC) é uma doença cardiovascular na qual o coração fica incapacitado de bombear sangue em quantidade suficiente para suprir as necessidades do organismo. O bomb

Corrimento Vaginal

Terça, 12 de Dezembro de 2017
O corrimento vaginal é uma queixa comum entre as mulheres, principalmente em idade fértil. Ele é caracterizado pela eliminação de líquido (não sangue) através da vagina, podendo estar associad

Astigmatismo: sintomas, causas, diagnóstico e tratamento

Terça, 12 de Dezembro de 2017
O astigmatismo é um erro ocular refrativo, no qual a imagem não atinge a retina em um único ponto focal, mas sim, em duas linhas focais separadas. Isso é provocado pela assimetria da córnea, do c

Principais cuidados que devemos tomar com as lentes de contato

Terça, 12 de Dezembro de 2017
As lentes de contato evoluíram e se tornaram cada vez mais importantes, trazendo grandes benefícios para os que necessitam de correção visual. Elas corrigem muitos defeitos de refração, proporci

Miopia: sintomas, causas, diagnóstico e tratamento

Terça, 12 de Dezembro de 2017
A miopia é uma doença ocular caracterizada pela dificuldade de enxergar à distância. Isso ocorre por que o olho míope é mais longo do que o normal e dessa maneira, o foco visual é formado antes

Câncer de pele

Terça, 12 de Dezembro de 2017
O que é?O câncer de pele é uma doença que resulta do crescimento descontrolado (anormal) das células da pele, que se multiplicam rapidamente podendo gerar tumores. O câncer de pele é mais

Jejum intermitente

Terça, 12 de Dezembro de 2017
Nosso organismo necessita de energia para realizar as diversas reações químicas responsáveis pelo funcionamento adequado do corpo. Essa energia que é chamada de glicose é obtida através da alim

Pílula anticoncepcional

Terça, 12 de Dezembro de 2017
A pílula oral é um tipo de anticoncepcional hormonal utilizado por muitas mulheres, com a principal finalidade de prevenir a gravidez. Ela é a primeira opção entre os métodos anticoncepcionais e

Cuidados para deixar a pele do rosto mais bonita e saudável

Terça, 12 de Dezembro de 2017
A aparência “perfeita” da pele, principalmente a do rosto é o sonho da maioria das pessoas. Uma pele bonita não é apenas questão de beleza, mas também de autoestima e bem estar. Fatores gen

Depressão: o que é, causas, sintomas, tratamentos

Terça, 12 de Dezembro de 2017
O desconforto de não ver possibilidades para o amanhã, tristeza, insônia, melancolia e falta de energia são alguns dos sinais de uma doença que assola grande parte da população: a depressão. S

Acne: tipos, tratamentos e prevenção

Terça, 12 de Dezembro de 2017
A acne é tão comum que às vezes esquecemos que ela é um tipo de doença dermatológica que pode causar sérios problemas não só de saúde física, mas também de saúde mental, pois pode comprom

Ceratocone

Terça, 12 de Dezembro de 2017
Ceratocone é uma doença progressiva da córnea na qual a baixa rigidez do colágeno permite uma protrusão e afinamento deste tecido, assumindo uma forma cônica (do grego: “kerato” significa c

Insuficiência Cardíaca - O que você precisa saber

O que é?



A insuficiência cardíaca (IC) é uma doença cardiovascular na qual o coração fica incapacitado de bombear sangue em quantidade suficiente para suprir as necessidades do organismo. O bombeamento insuficiente prejudica a circulação, fazendo com que o sangue se acumule em diversas áreas do corpo, como por exemplo pulmões, fígado, braços e pernas. Com isso, a oferta de oxigênio e nutrientes para esses órgãos fica comprometida, prejudicando seu funcionamento.


Trata-se de uma doença complexa, que prejudica a qualidade de vida dos pacientes e, em suas formas mais avançadas, está associada a uma alta taxa de mortalidade.


Causas


Entre as principais causas da insuficiência cardíaca, destaca-se a hipertensão arterial, a doença arterial coronária (DAC) e a disfunção ventricular.


Além disso, alguns fatores de risco podem aumentar a incidência da IC, como ataque cardíaco, diabetes, consumo excessivo de sal, cardiopatias congênitas, entre outros. 



Prevalência e incidência 

Apesar do grande desenvolvimento tecnológico e maiores recursos farmacológicos, a incidência de IC vem aumentando a cada ano. Isso ocorre, em parte, pelo envelhecimento da população, já que a IC é mais frequente em idosos, além de ser mais comum em homens.


Sintomas 


Alguns pacientes com IC não apresentam sintomas, mas em pacientes muito sintomáticos, a dispnéia, o cansaço (fadiga), e o edema provocam muito desconforto. Além disso, há outros sintomas como tosse, inchaço, ganho de peso, palpitações, dificuldade para dormir, náuseas, vômitos e perda de apetite.


Diagnóstico


O diagnóstico é realizado por um médico cardiologista clínico. Pode ser baseado na história clínica do paciente, nos sintomas apresentados (quando aparentes) e exames complementares, sobretudo de exames de imagem.


O raio-X de tórax e o ecocardiograma, por exemplo, permitem avaliar as estruturas do coração, bem como seu funcionamento, forma, tamanho e espessura. A angiotomografia coronariana possibilita a visualização não invasiva das artérias coronárias, permitindo a avaliação da presença de placas de gordura e variações anatômicas com imagens tridimensionais (3D). Há ainda, outros exames como a ressonância cardíaca e cineangiocoronariografia.



Tratamentos 


O tratamento pode ser clínico ou cirúrgico. Para sua determinação, deve-se levar em conta a causa, os sintomas, o estágio da doença e as complicações clínicas apresentadas pelo paciente.


Tratamento Clínico


No tratamento clínica é realizado através da administração de medicamentos, cujo objetivo é reduzir as manifestações clínicas, a necessidade de hospitalizações e a mortalidade. Nas formas assintomáticas, o tratamento pode prevenir o aparecimento da doença também.


Os tipos de medicamentes utilizados podem ser classificados em digitálicos, diuréticos e inibidores da enzima conversora da angiotensina (ECA).


Digitálicos


Nos portadores de IC sintomáticos, o digital reduz a estimulação neuro-humoral, melhora o desempenho físico, reduz hospitalizações e não aumenta sua mortalidade. Porém, essa droga deve ser administrada com cuidado, pois em pacientes com arritmia e infarto do miocárdio pode haver um aumento da mortalidade.

 

Diuréticos


Os diuréticos são medicamentos indispensáveis para a compensação dos pacientes. Porém seu uso interfere na qualidade de vida dos pacientes, podendo causar hipopotassemia, elevação da creatinina e ácido úrico, hipotensão e câimbras. Porém, vários estudos vêm demonstrando que nas formas avançadas de IC o uso correto dos diuréticos é fundamental para manter o paciente compensado.

 

Inibidores da ECA


Em pacientes sintomáticos, a prescrição dos inibidores da ECA resulta na redução da dilatação das câmaras ventriculares e na melhora do desempenho cardíaco, na redução dos sintomas, melhora na qualidade de vida, redução do número de hospitalizações e redução da mortalidade. Dessa forma, a prescrição dos inibidores da ECA é eficiente nos vários estágios da IC.

 

Antagonistas da angiotensina II


São drogas vasodilatadoras com perfil semelhante aos inibidores da ECA. São uma boa opção de tratamento para aqueles que não toleram os inibidores da ECA. O tratamento com estes antagonistas modulam a estimulação neuro-humoral aumentada e reduzem as alterações hemodinâmicas características da IC.


Tratamento cirúrgico 


O tratamento cirúrgico é indicado nos casos mais graves da doença e pode ser eficiente em muitos casos, eliminando a causa da IC.


Para os pacientes com disfunção ventricular avançada, três procedimentos cirúrgicos podem ser realizados: o transplante cardíaco, a ventriculectomia parcial e a cardiomioplastia. 


O transplante cardíaco é o procedimento com indicações mais precisas e com resultados comprovados. Apesar das dificuldades para sua realização e de suas contraindicações, é um dos melhores tratamentos, principalmente nos portadores de formas avançadas de IC. 


A cardiomioplastia é uma alternativa ao transplante cardíaco, na qual a contração 

do músculo esquelético é estimulada eletricamente, aumentando a função ventricular. Porém esta técnica possui grandes limitações pelo custo do estimulador e pelas contraindicações para pacientes com formas avançadas. 


A ventriculectomia é outra técnica utilizada como alternativa ao transplante. Ela melhora a condição e a função ventricular. No entanto, a aplicação clínica desse procedimento é limitada pela elevada mortalidade observada nos primeiros meses de pós-operatório.


Prevenção


A prevenção da IC pode ser realizada com um estilo de vida mais saudável, alimentação adequada e atividade física regular e não excessiva. Além disso, é importante procurar um médico cardiologista com regularidade para realizar exames periódicos e acompanhar a saúde do coração.



Procurando um cardiologista em Maringá?


Marque sua consulta com um de nossos cardiologistas. Profissionais altamente qualificados, agendamento rápido e preço acessível na consulta. Venha nos fazer uma visita.


Médicos | Agenda | Preço da Consulta