Sobre

Exame oftalmológico complementar que permite ao oftalmologista avaliar a retina, o fundo do olho e as estruturas adjacentes. Com auxílio de um equipamento ótico (oftalmoscópio indireto) e com as pupilas dilatadas, o médico visualiza e analisa o fundo do olho na busca por anormalidades.

Como é feito o exame?

Inicialmente é realizada a dilatação da pupila do paciente. A pupila é o “buraco” por onde entra a luz entra no olho. O seu diâmetro de abertura varia automaticamente (dilata e contrai) para controlar a quantidade de luz que entra.


Para o exame, é realizada a dilatação artificial da pupila, pingando-se um colírio específico. O paciente sente apenas um leve desconforto. Em alguns minutos, a pupila dilata e atinge seu diâmetro de abertura máximo, o que permite uma melhor visualização do interior do olho.


Em seguida, o médico utiliza um equipamento ótico especial (oftalmoscópio indireto) que ilumina o fundo do olho. Depois disso, através de uma lente, ele visualiza com detalhes todas a estruturas.

Quando e pra quem é indicado?

·        Como exame de rotina anual

·        Pré-operatório de cirurgias oculares

·        Hipertensos

·        Diabéticos

·        Alto grau de miopia

·        Alteração visual não relacionada a óculos

·        Toxoplasmose

·        Acima dos 50 anos 

Compartilhe

Whatsapp